fbpx
blank

Síndrome Vasovagal | Sintomas, Tratamentos e Prevenção

A Síndrome Vasovagal ou Síncope Vasovagal é a perda transitória da consciência, um desmaio provocado pela diminuição de pressão arterial e dos batimentos cardíacos, causado pela redução da chegada de sangue ao coração e cérebro por ação direta do nervo vago, que conecta o cérebro ao coração.

Essa síndrome não significa necessariamente uma doença orgânica, embora seja de extrema importância excluir condições como Epilepsia, neuropatias autonômicas, doença cerebrovascular e desordens cardíacas ou endócrinas. Ela é mais comum em mulheres e tem maior acometimento durante a juventude.

Apesar de ter maior incidência em jovens, a doença também acomete idosos. Independentemente de ser benigna, esse mal pode ser recorrente, gerando grande impacto na qualidade de vida do indivíduo e aumentando a morbidade desta condição.

Considerando jovens e idosos, aproximadamente 3% da população apresenta a síndrome, conforme o estudo de Framinghan, que acompanhou mais de 5 mil habitantes da cidade de Framinghan durante 26 anos. Trata-se de um problema comum em emergência, representado 3 a 5% dos atendimentos 1 a 6% das admissões hospitalares. Cerca de 1/3 dos pacientes têm recorrência da síncope em três anos.

Entendendo a síndrome

Como citado, é uma doença que pode resultar em intervenções hospitalares. Os primeiros sinais dessa síndrome são: fraqueza, transpiração excessiva, palidez, calor, náusea, tontura, borramento visual, dor de cabeça e palpitações. Sentir grandes emoções, sustos, ingerir bebidas alcoólicas, frequentar ambientes fechados, aglomerações, ficar em jejum, horas em pé ou com ansiedade são outros fatores que podem fazer as pessoas com essa síndrome desmaiarem.

É possível identificar esses portadores por meio de aplicações médicas, a principal é feita através da avaliação dos efeitos do estresse ortostático observados em um teste provocativo. O chamado teste de inclinação, analisa os efeitos sobre a pressão arterial durante um período ou fase não potencializada e durante a fase de estresse farmacológico, que é realizado com auxílio de medicamentos.

O teste consiste em uma mesa inclinável com plataforma para apoio dos pés, cintos de segurança e monitorização dos batimentos cardíacos. O paciente permanece deitado inicialmente por 10 a 20 minutos, na chama fase de repouso. Logo após, a cama é inclinada entre 60 e 70°. A fase inclinada dura de 20 a 45 minutos dependendo do protocolo utilizado. Durante a inclinação, o paciente recebe medicamentos que auxiliam no aumento da sensibilidade do teste.

Este exame possui um caráter educativo importante, pois o paciente aprende a reconhecer seus sintomas e visualizar as alterações envolvidas, aumentando assim seu entendimento e aderência ao tratamento.

Tratamento e prevenção

Com essas informações o tratamento pode ser iniciado, não existe um específico para a Síndrome Vasovagal. Caso o diagnóstico seja confirmado, o médico responsável irá avaliar o quadro do paciente, em alguns casos podendo prescrever medicamentos para evitar a queda da pressão arterial. Geralmente, os cuidados são comportamentais: os portadores dessa síndrome aprendem a evitar alguns ambientes e a controlar as situações que podem desencadeá-la.

Sobre estes cuidados comportamentais, são praticamente métodos preventivos. Entre os mais utilizados podemos citar:

• Não ficar em pé por longos períodos;
• Não consumir bebidas desidratantes, como álcool;
• Evitar ambientes quentes e fechados;
• Movimentar as pernas e as panturrilhas enquanto estiver de pé;
• Ao sentir qualquer sintoma, deitar com as pernas elevadas.

Em geral, pessoas com Síndrome Vasovagal vivem bem. Porém, se não forem tomadas as devidas medidas preventivas, aumentam-se os riscos de fraturas decorrentes das quedas por desmaio, levando a possível sensação de insegurança, podendo acarretar até mesmo em doenças emocionais, como depressão.


Dr. Muhieddine Omar Chokr
CRM: 127.450

Buscar

+
X