blank

Saúde mental e a pandemia: fatores de risco para o bem-estar psicológico

A explosão de casos da Covid-19 é um dos maiores problemas de saúde pública enfrentados pela humanidade nos últimos tempos. O medo do contágio, o consumo frequente de notícias sobre o vírus, o isolamento social que reformulou as relações pessoais, as medidas de segurança e o óbito de algum familiar por causa da doença aumentam os níveis de preocupações.

Diante disso, no contexto de reestabelecimento da “vida normal”, com escolas se preparando para voltar às aulas, escritórios sendo abertos e a necessidade de utilizar o transporte público, o aumento do estresse pode prejudicar a qualidade de vida.

A experiência de uma pandemia gera fatores de risco para o bem-estar psicológico, entre eles:

– Ansiedade.

É caracterizada pelo sentimento desagradável de medo, apreensão, tensão ou desconforto derivado da antecipação do perigo, e pode afetar adultos e crianças. Ansiedade é um sentimento normal, mas pode passar a ser patológico ao prejudicar o dia a dia causando transtornos físicos e psicológicos, como  tontura, tremores, insônia, desmaio e taquicardia, provocados por uma reação exagerada em relação ao estímulo. No momento em que não se sabe exatamente quando a pandemia terá fim, sentimentos provocados pela ansiedade podem ser intensificados.

– Estresse pós-traumático.

É um distúrbio de ansiedade que ocorre após um evento traumático importante. O transtorno pode iniciar entre semanas e meses após o evento desencadeante e entre os sintomas está a reexperiência do episódio que deu origem a doença, isolamento social, dor de cabeça, dificuldade de concentração, irritabilidade e tonturas. Além disso, pode ser dividido entre agudo, quando os sintomas duram de 1 a 3 meses, e crônico, quando duram mais de 3 meses.

– Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Caracterizado pela presença de obsessões ou de compulsões em relação a ideias, imagens, preocupações, entre outros. O TOC impele a pessoa a realizar determinada ação ou ato mental para evitar ou diminuir incômodos ou ansiedade. Pessoas com suspeita de infecção da Covid-19 podem desenvolver sintomas compulsivos com a verificação repetida da temperatura corporal ou limpeza.

A psicologia pode oferecer contribuições importantes para minimizar o impacto da Covid-19 na saúde mental da população, com intervenções e tratamentos adequados para garantir a qualidade de vida das pessoas. Por isso, ao identificar sintomas e sentimentos que prejudicam o bem-estar físico e mental durante o dia a dia, procure um médico para realizar o diagnóstico e iniciar o tratamento indicado.

Buscar

+
X