fbpx
blank

Consumo de cigarro no Brasil aumentou 34% em 2020

Segundo pesquisa da Fiocruz, em 2020 o consumo de cigarro no Brasil aumentou em 34%. O crescimento foi atribuído, principalmente, a pandemia, quadros de depressão, ansiedade e insônia.

O tabagismo é perigoso e está relacionado com mais de 50 enfermidades, entre elas vários tipos de câncer, como os de pulmão, laringe, estômago, pâncreas, fígado, além de doenças respiratórias e cardiovasculares. Os fumantes adoecem com mais frequência, tem menor resistência física, menos fôlego e pior desempenho nos esportes e na vida sexual. Além de envelhecerem mais rapidamente, apresentando dentes amarelos, cabelos opacos, pele enrugada e impregnada pelo odor do fumo.

Produtos como cigarro, cachimbo, charutos, entre outros, fazem mal à saúde porque possuem mais de 4.700 substâncias tóxicas, entre elas a nicotina, que leva a dependência química.

Abandonar a dependência é um desafio, mas é a melhor medida para evitar problemas de saúde. Em apenas alguns instantes, a diferença de não fumar pode ser observada: em 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal. Em duas horas, não há mais nicotina circulando no organismo, após oito horas, o nível de oxigênio no sangue normaliza, e de 12 a 24 horas após o último cigarro, os pulmões já funcionam melhores.

Confira algumas dicas recomendadas para quem deseja parar de fumar:

• Defina um dia “x” para parar de fumar;
• Reduza o número de cigarro por dia, até o dia definido para parar;
• Atrase o primeiro cigarro do dia;
• Realize atividades de distração para evitar a abstinência.

Comece o ano cuidando mais da sua saúde, evite o tabaco! Consulte um médico para mais informações.

Buscar

+
X