blank

Saiba como a falta de sono prejudica sua saúde

O sono é uma função biológica fundamental para o reestabelecimento do nosso organismo. Isso porque durante esse período de descanso, muitas coisas acontecem; a memória é consolidada, a energia é restaurada, o corpo fortalece o sistema imunológico, o apetite é regulado, a frequência cardíaca e a pressão arterial são reduzidas favorecendo a saúde do coração.

Contudo, é estimado que de 15% a 27% da população tenha problemas para dormir, ocasionando em várias alterações, dentre elas:

• Cansaço no dia seguinte;
• Irritabilidade;
• Lapsos de memória;
• Falta de atenção.

Porém, pouca gente sabe que os problemas para dormir são condições clínicas tratáveis. Quando esse problema se torna crônico, as principais manifestações são:

• Sonolência diurna exagerada;
• Alterações de humor;
• Alterações da memória e da capacidade mental.

Os distúrbios do sono mais comuns e que colaboram para a má qualidade de vida podem desenvolver outros problemas de saúde. São eles:

Insônia: dificuldade de iniciar e/ou manter o sono, impedindo um descanso reparador, comprometendo as atividades diárias. Esse quadro pode estar relacionado a fatores como ansiedade, problemas clínicos, estresse, entre outros.

Apneia Obstrutiva: é um transtorno potencialmente grave. Durante o sono, a via área torna-se repetidamente bloqueada, pelo relaxamento dos tecidos da faringe e da base da língua, limitando a quantidade de ar que atinge os pulmões e levando a uma parada de respiração que dura até 20 segundos. Após essa parada, a pessoa acorda emitindo um ronco. A condição pode causar enfermidades cardiovasculares a longo prazo, como doenças nas artérias, infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC).

Narcolepsia: é caracterizada pela sonolência excessiva durante o dia, mesmo quando a pessoa dormiu bem durante toda a noite, podendo estar associada aos distúrbios respiratórios e o sono insuficiente.

O surgimento de problemas como depressão, tensão, instabilidade emocional, problemas de conduta, uso de álcool ou drogas, idealização ou tentativa de suicídio, falta de energia, dores de cabeça e de estômago, piora geral da saúde, podem estar também relacionados aos distúrbios do sono. Por isso, é indicado dormir entre 6 e 8 horas por dia, sem interrupções. Pequenos detalhes podem ajudar a melhorar o sono, ter um ambiente apropriado para dormir, não ir para cama sem sono, evitar ler ou assistir TV na cama, realizar refeições leves até duas horas antes de deitar e ter horários regulares.

Ao sentir que a qualidade do seu sono está afetando o cotidiano, procure um médico!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

8 − dois =

Buscar

+
X